Falta de matéria-prima é a maior em 19 anos e impacta a produção das empresas
GW Flexo - Falta de matérias-primas afetam produção

Falta de matéria-prima é a maior em 19 anos e impacta a produção das empresas

Segundo estudos da Fundação Getúlio Vargas realizados em outubro de 2020, a falta de insumos no Brasil á a maior desde 2001 em 14 dos 19 setores industriais analisados.

E se por um lado falta matéria prima, do outro os setores começam a ter um aquecimento.

O IBGE divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 7,7% do 3º trimestre na comparação com os três meses anteriores, indicando uma recuperação da indústria em relação ao segundo trimestre.

Mesmo com essa recuperação, os setores vem sentindo o impacto da escassez de matérias-primas em diversos segmentos, além da alta de preços.

Diante disso, muitas empresas tiveram que reduzir o seu ritmo de produção, postergando prazos de entrega ou até evitando pegar pedidos.

Isto vem afetando tanto as gráficas que imprimem etiquetas, embalagens etc como os fabricantes de equipamento para o setor.

Além disso, o câmbio desvalorizado têm impactado significativo na alta de preços, pois boa parte dos insumos são importados.

Interrupção durante a Pandemia

Outro fator é que a interrupção da produção durante a pandemia de coronavírus e uma retomada do consumo mais forte do que o esperado pegou as empresas com baixos estoques e demanda crescente.

Isso provocou um descompasso entre fabricantes de matérias-primas e empresas fabricantes de produtos finais e varejo.

Retomada

Assim, a retomada da economia com a falta de matérias-primas para produção, bem como um câmbio elevado acabam por provocar uma alta nos preços.

Para se ter uma ideia, o IGPM do período ultrapassa os 20%.

Alguns setores falam em aumentos de 60% a 80% nos insumos, mas não é possível repassar tudo para o mercado.

A esperança é uma normalização gradativa conforme a situação global vá melhorando com a chegada das vacinas.

Deixe uma resposta